Central de Material e Esterilização: 5 coisas que você precisa saber

Compartilhe:

CME é a sigla para Central de Material e Esterilização. A sigla também pode ser conhecida como Central de Materiais Estéreis ou até Centro de Material Esterilizado, e apesar das variações, o objetivo é o mesmo: ser um setor destinado à limpeza, acondicionamento, esterilização e distribuição de todos os artigos médicos hospitalares.

A infecção hospitalar representa a quarta maior causa de óbitos em todo o mundo. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, fungos, vírus e bactérias matam cerca de cem mil pessoas todos os anos. O assunto preocupa hospitais da rede pública e privada pela alta taxa de contágio, que chega a 15% de todos os pacientes internados em hospitais brasileiros. Nos EUA e em países da Europa, o nível chega a 10%. A prevenção contra esse grave problema pode ser feita através de atitudes simples, como a correta higienização de instrumentos e utensílios médicos. Por isso, em hospitais de médio e grande porte, há um setor específico para isso: o CME.

1. O que é CME?

O processo de limpeza, esterilização e infecção envolve não apenas a remoção da sujeira, mas também a eliminação de todos os micro-organismos presentes no item a ser processado. Essa prática é adotada pelo menos desde o século IX a.C., quando Homero aponta o uso do Enxofre como desinfetante. Com o passar do tempo e o sucessivo desenvolvimento dos estudos sobre a microbiologia, metodologias foram adotadas técnicas contra as doenças infecciosas.

No Brasil, a primeira Central de Material e Esterilização foi implantada na década de 1940, no Hospital das Clínicas de São Paulo. Desde então esse setor vem sendo constantemente desenvolvido, apesar das limitações.

Hoje moderna e tecnológica, a Central de Material e Esterilização do Hospital das Clínicas de São Paulo foi a primeira do Brasil. Crédito: YouTube
Hoje moderna e tecnológica, a Central de Material e Esterilização do Hospital das Clínicas de São Paulo foi a primeira do Brasil.

2. Por que é tão importante?

A Central de Material e Esterilização é considerada como o setor mais importante de uma instituição hospitalar, sendo chamada de “coração do hospital”. Isso porque é a partir dela que todos os outros setores dão continuidade à assistência dos pacientes.

Um hospital é o lugar onde há a maior associação de fatores de risco à saúde humana. Pesquisas científicas sugerem que a infecção hospitalar ameaça mais que infecções como gripe, AIDS e tuberculose juntas, tendo em vista que nenhum outro ambiente combina, de forma tão insalubre, hospedeiros vulneráveis e patogenias resistentes. Dessa forma, são indispensáveis ações para prevenir contaminações, já que ao lado de neoplasias e doenças cardiovasculares, respiratórias e contagiosas, a infecção hospitalar é a causa da maioria das mortes ao redor do mundo.

A enfermagem tem um papel fundamental na gestão de equipamentos médicos e principalmente dentro das CME, devendo adotar medidas de prevenção e controle de infecções. Por serem profissionais qualificados e que atuam em conjuntos com os demais setores, os enfermeiros são os responsáveis por administrar e integrar essa central, planejando, executando e avaliando os métodos de esterilização.

3. Como funciona uma Central de Material e Esterilização?

Uma Central de Material e Esterilização pode ser descentralizada, quando cada unidade hospitalar esteriliza e prepara o material utilizado, semicentralizada, onde os materiais são preparados em cada unidade e esterilizados no mesmo local, ou centralizada, quando o preparo e a esterilização são feitos no mesmo lugar. A melhor e mais usada forma de funcionamento é a centralizada, já que proporciona mais eficiência, economia e qualidade.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é quem estabelece as diretrizes para o funcionamento de um Centro de Material Esterilizado. As normas abrangem todas as áreas e ações relacionadas ao setor. Na constituição da equipe da CME, por exemplo, deve haver enfermeiros e técnicos ou auxiliares de enfermagem. O responsável pelo setor também deve ser preferencialmente enfermeiro, com curso superior, habilitação legal e treinamento voltado para o processamento de produtos para a saúde, devendo se dedicar integralmente à essa unidade. A resolução completa pode ser acessada por aqui.

Ainda de acordo com a Anvisa, a infraestrutura da CME deve ser constituída de: sala de recepção e limpeza; sala de preparo e esterilização; sala de desinfecção química (quando aplicável); área de monitoramento do processo de esterilização; e sala de armazenamento e distribuição de materiais esterilizados. E como ambientes de apoio, devem ser previstos: vestiário com sanitário para funcionários; depósito de material de limpeza; uma copa para os funcionários do setor; sala administrativa e sala para descanso de funcionários em plantões noturnos.

4. Quais os setores?

A esterilização dos materiais hospitalares dever ser feitas na seguinte sequência:

  • Expurgo;
    Todo o material “sujo” é recebido pelo setor e limpo antes da esterilização.
  • Preparo de materiais;
    Os utensílios são inspecionados, identificados, separados, embalados e preparados para a esterilização.
  • Esterilização;
    Aqui, o material é esterilizado por meios físicos (calor úmido ou seco) ou químicos (através de soluções).
  • Distribuição de materiais esterilizados
    O último processo consiste em armazenar o material esterilizado e devolvê-lo aos setores de origem, com os cuidados necessários e estabelecidos.
Interior de uma Central de Material e Eesterilização. Crédito: Reprodução
Interior de uma Central de Material e Eesterilização. Crédito: Reprodução

5. Quais as principais barreiras?

A crescente resistência dos micro-organismos a agentes químicos e físicos obriga o setor a manter o rigor e uma constante atualização das formas de limpeza e esterilização.

Além disso, apesar da suma importância dentro dos hospitais, muitas CME ainda não seguem todos os padrões teóricos definidos. E isso é causado, principalmente, por uma junção de fatores, como altos custos de maquinário e manutenção (já falamos aqui sobre como evitar esse problema), baixo investimento no setor, falta de profissionais qualificados para o e a ausência de planejamento.

6. Conclusão

Dadas as informações sobre os perigos das infecções e contaminações, a Central de Material e Esterilização ainda merece maior atenção dentro dos hospitais. Além da assistência prestada aos pacientes, os funcionários também precisam estar seguros, já que estão em contato diário com materiais de alto risco. Os enfermeiros, fundamentais para o funcionamento de um hospital, têm grande responsabilidade na garantia da eficácia dos processos contra infecções.

Uma sugestão é a criação de comissões especiais de fiscalização, com um bom relacionamento com a administração hospitalar, para aproximar as referências teóricas aos padrões de funcionamento do setor. Os funcionários devem, ainda, estar em constante treinamento, para que sejam aperfeiçoadas as técnicas de limpeza, esterilização, segurança e logística.

A Arkmeds desenvolve soluções para otimizar o processo de manutenção em hospitais. Em parceria com a CM Tecnologia, fizemos um E-Book com dicas essenciais para aumentar a eficácia de processos e diminuir custos e desperdícios na área médico-hospitalar. Ficou interessado? Clique na imagem e baixe o material grátis:




E-book-solucoes-hospital-eficiente

Não deixe de assinar a Newsletter da Arkmeds e ficar por dentro dos novos artigos que são lançados. 

Tem alguma dúvida sobre meu artigo? Deixe um comentário e iremos te ajudar!

Thiago Bajur

Thiago Bajur

Thiago Bajur é co-fundador da Arkmeds. Escreveu um livro aos 11 anos de idade, o Zot. Estudou Engenharia de Sistemas Médicos na OVGU, Magdeburg Alemanha. Desenvolveu o primeiro analisador de segurança elétrica automático do Brasil. Já foi Juiz na German RoboCup, maior evento de Robótica do mundo. É Apaixonado por inovação e quer transformar a forma como é vista a Engenharia Clínica.
0 0 votes
Classificação do conteúdo
Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ana Lucia Poderoso
Ana Lucia Poderoso
6 anos atrás

Como faço pra esterelizar uma furadeira de uso ortopedica no hospital?

Arkmeds Soluções
Reply to  Ana Lucia Poderoso
6 anos atrás

Olá Ana Lúcia.
Para a sua dúvida, existe um artigo muito interessante do Procedimento Operacional Padrão (POP) adotado pelo Ipsemg. Lá eles descrevem a prática para Controle e Limpeza de furadeiras ortopédicas. Espero que lhe ajude!

http://www.ipsemg.mg.gov.br/ipsemg/ecp/files.do?evento=download&urlArqPlc=pop_cme_-_007_limpeza_das_furadeiras.pdf.

Atenciosamente, Nathalia Mazotti

Tatiane Tomaz
Tatiane Tomaz
6 anos atrás

Boa noite
Para trabalhar nessa área o que é necessário?

Arkmeds Soluções
Reply to  Tatiane Tomaz
6 anos atrás

Bom dia Tatiane!
Para trabalhar diretamente dentro do setor de Central de Materiais Esterilizados você precisa ter um curso de nível técnico ou superior em enfermagem.

Madalena Mota
Madalena Mota
6 anos atrás

Assunto CME
Asunto para estudar.

Madalena Mota
Madalena Mota
Reply to  Madalena Mota
6 anos atrás

Eu preciso de assunto para mim atualizar na área do mesmo. Eu gosto muito do setor.

Arkmeds Soluções
Reply to  Madalena Mota
6 anos atrás

Que ótimo Madalena! Ficamos felizes em ajudar.
Aproveite e fique por dentro de todos os nossos posts assinando nossa newsletter.

Arkmeds Soluções
Reply to  Madalena Mota
6 anos atrás

Espero que lhe ajude no seu estudo!

rosangela marques de albuquerque
6 anos atrás

OTIMO MATERIAL DE INFORMACAO

Luciana Pereira de souza
Luciana Pereira de souza
6 anos atrás

otimo,me ajudou muito.

Arkmeds Soluções
Reply to  Luciana Pereira de souza
6 anos atrás

Que bom Luciana!
Ficamos felizes em ajudar!

Regina moura souza
Regina moura souza
6 anos atrás

Quais os materiais são considerados cliticos na CME.

Arkmeds Soluções
Reply to  Regina moura souza
6 anos atrás

Olá Regina!
Os artigos considerados críticos são destinados aos procedimentos invasivos em pele e mucosas adjacentes, nos tecidos subepiteliais e no sistema vascular.
Alguns exemplos são: Instrumental cirúrgico, pinças, tesouras, cabos de bisturi, pontas de eletrocautério, espéculos vaginais, endoscópio, equipamentos de anestesia gasosa, traqueia, entre outros.

Qualquer dúvida, pode contatar a Arkmeds.
Um prazer em ajudar!
Atenciosamente, Nathalia Mazotti

RONILDA
RONILDA
6 anos atrás

PARABÉNS PELO MATERIAL!
TUDO BEM ESCLARECIDO E FÁCIL DE ENTENDER.
OBRIGADA!!

Nathalia Mazotti
Reply to  RONILDA
5 anos atrás

Olá Ronilda!
Ficamos felizes que tenha gostado do artigo. Continue lendo os artigos e divulgando aos colegas. A opinião de vocês é muito importante para nós!
Abraços

Iracelia Souza
Iracelia Souza
6 anos atrás

Olá iracelia tenho quarenta anos eu gostaria de saber para trabalhar na área CME tem que fazer curso de enfermagem

Nathalia Mazotti
Reply to  Iracelia Souza
5 anos atrás

Olá Iracélia,
Ficamos felizes que tenha lido nosso artigo. Tem muito conteúdo bacana no blog.

Para trabalhar dentro de uma CME hoje, é necessário ao menos um curso técnico em enfermagem. Existem ótimas instituições que você pode estudar para ingressar dentro da área. Boa sorte!

Michele
Michele
3 anos atrás

Ola .minha duvida e a sequinte ….estou trabalhando no CME daí me pediram para ficar também auxiliando no transporte de pacientes…quando necessário para outro hospital….então queria saber se isso pode ….por que eu nunca trabalhei desta forma …pra mim CME e área privativa …e não podemos trabalhar em vários setores ao mesmo tempo estando na CME . ..mais me corrija se eu estiver errada.

CARLOS ROBERTO
CARLOS ROBERTO
3 anos atrás

Olá, meu nome é Carlos, técnico em enfermagem e concluindo o curso de bacharel em enfermagem, tenho projeto de abrir uma CME, mas pretendotrabalhar com aterrado e gostaria de informações de como adquirir estás máquinas de forma de comodato, poderia me fornecer essas informações?

Sheyla Assis
Sheyla Assis
3 anos atrás

Quero receber a Newsletter de vcs.
Não achei no site o acesso para pedir pra receber a Newsletter.

Categorias

Mais recentes

20
0
Would love your thoughts, please comment.x