Central de Materiais Esterilizados e suas 5 principais atividades

Compartilhe:

Sobre o conceito de Central de Material e Esterilização (CME), recomendo fortemente a realização da leitura do artigo “Tipos de CME: quais as particularidades de cada um?” um excelente texto para entender melhor sobre a definição desse setor.

A CME deve possuir um sistema de informação manual ou automatizado com registro do monitoramento e controle das etapas de limpeza e desinfecção ou esterilização dos materiais médico-hospitalares, de forma a garantir a rastreabilidade de cada lote processado. Cada etapa do processo de trabalho do setor deve ser registrado e monitorado, além de ser importante manter o ótimo funcionamento dos equipamentos que também operam para o serviço acontecer, trabalhando com o monitoramento e suas manutenções.  

As infecções hospitalares não ocorrem de maneira inesperada. Elas são decorrentes de práticas inadequadas, e da irresponsabilidade dos profissionais envolvidos. O papel da CME  nos estabelecimentos de saúde dedica-se à prevenção e controle dessas infecções e, por isso, o fator rastreabilidade deve ser primordial no setor, pois agrega uma infinidade de benefícios ao controle e prevenção como:

  • Inserção de controle biológico;
  • Controle das etapas realizadas;
  • Controle de pinças;
  • Redução das possibilidades do erro humano;
  • Aumento da eficiência operacional;
  • Relatórios de produtividade.

Para melhor entendimento deste assunto, destaco a seguir as principais atividades e suas definições, que têm por objetivo inibir, destruir e eliminar micro-organismos presentes nos instrumentais, superfície e tecidos vivos.

Principais Atividades do setor CME

1. Recepção dos materiais

Neste processo é realizado a conferência e o registro de entrada de todos os materiais recebidos para o processamento.

2. Limpeza

É a remoção da sujidade visível (orgânica e inorgânica) e, com isso, a retirada da carga microbiana. A limpeza pode ser realizada mediante o uso de água, sabão e detergente enzimático ou com equipamentos automatizados.

3. Preparo do material e embalagem

O preparo envolve a secagem e a esterilidade do material, sua vida útil, suas condições para o transporte, armazenamento, indo até sua utilização.

As embalagens utilizadas determinam sua vida útil, mantendo o conteúdo estéril após o processamento, garantindo a integridade do produto.

4. Esterilização

Visa a destruição de todas as formas de microrganismos presentes nos materiais.

Os métodos de esterilização disponíveis no processamento dos materiais são: calor, sob a forma úmida e seca; e os agentes químicos, sob a forma líquida, gasosa e plasma.

5. Distribuição

Os materiais esterilizados devem ser mantidos em um ambiente limpo e seco até o momento da distribuição.

 A distribuição dos materiais para saúde processados deve ser realizada por meio de recipientes fechados, garantindo a manutenção da identificação e a integridade da embalagem.

Qual profissional realiza essas atividades?

A enfermagem tem um papel essencial no setor de CME, com medidas de controle e prevenção de infecções. E cabe aos  enfermeiros que são responsáveis pela CME: a participação e a supervisão das etapas relacionadas ao processamento de produtos para saúde, participação da elaboração de sistema de registro (manual ou informatizado) da execução, monitoramento e controle das etapas de limpeza e desinfecção ou esterilização, bem como da manutenção e monitoramento dos equipamentos em uso na CME.

A atuação dos enfermeiros na CME requer conhecimentos específicos sobre a diversidade de equipamentos, artigos e instrumental cirúrgico, assim como a forma de processá-los,  cujo propósito é garantir produtos seguros para a assistência ao paciente.

Considerações Finais

A CME requer uma grande importância nos ambientes hospitalares. Os enfermeiros possuem grande responsabilidade dentro de um hospital, garantindo a eficácia dos processos contra infecções, aplicando constante treinamento para os funcionários, garantindo o aperfeiçoamento das técnicas de limpeza, esterilização, segurança e mantendo a rastreabilidade em todos as atividades do setor.

Pode ser interessante saber um pouco mais sobre CME e, por isso, recomendo a leitura do post escrito pela Arkmeds sobre “Central de Material e Esterilização: 5 coisas que você precisa saber”.

Gostou do artigo? Então assine a Newsletter da Arkmeds e receba em primeira mão os artigos quentinhos que são lançados toda semana!

Tem alguma dúvida? Deixe um comentário!

Veronica Lima

Veronica Lima

Veronica Lima é Engenheira Biomédica e especialista em Engenharia Clínica. É estudante de mestrado em Engenharia Biomédica pela Universidade Federal de Uberlândia. Atuou como estagiária no Hospital de Clínicas da UFU em Uberlândia, tendo como principais atividades as manutenções preventivas e corretivas dos equipamentos médico-hospitalares. É apaixonada por Engenharia Clínica, tecnologias e metrologia e, acredita que o uso da tecnologia e de uma boa gestão no setor da saúde proporcione uma maior segurança aos pacientes.
0 0 votes
Classificação do conteúdo
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivanessa Queiroz Rosa
Ivanessa Queiroz Rosa
4 anos atrás

Gostei muito de assunto e quero saber mais informaçoes sobre o papel do enfermeiro no cme

Categorias

Mais recentes

1
0
Would love your thoughts, please comment.x