Tipos de CME: quais as particularidades de cada um?

Reading time: 3 minutes

Avaliação
[Total: 2 Média: 5]


O funcionamento de um hospital depende da relação organizada entre seus diversos setores (emergência, centro cirúrgico, enfermarias, rouparia, CME). Um processo de um setor influencia como outro setor funcionará. A enfermaria depende do setor de internação para a admissão de pacientes, assim como o centro cirúrgico depende da equipe de limpeza para utilizar uma sala cirúrgica.

Alguns setores são essenciais para todos os outros dentro de um hospital, como a Central de Material e Esterilização (CME). Os procedimentos que ocorrem nas diferentes clínicas dependem dos tipos de CME e seu funcionamento 24 horas por dia.

Acompanhe o post de hoje para saber mais sobre esse setor e as particularidades de cada tipo de CME!

Centro de Material e Esterilização (CME)

A CME é a unidade dentro do hospital responsável pelo processamento e limpeza de produtos para a saúde que serão utilizados em todos os setores do hospital. É o local destinado para a limpeza, preparo, acondicionamento, esterilização, guarda e distribuição dos artigos médico-hospitalares.

Os processos básicos que ocorrem em uma CME são:

  1. inspeção do material sujo recebido;
  2. limpeza;
  3. preparo do material;
  4. embalagem com materiais adequados;
  5. esterilização (por diferentes métodos); e
  6. armazenamento até o momento do transporte do material para os setores.

Tipos de CME

A CME é classificada em três tipos de acordo com sua forma de funcionamento.

1. Descentralizado

Nesse tipo, cada unidade hospitalar possui um CME próprio responsável pela limpeza e esterilização dos materiais que utiliza.

2. Semi-centralizado

No caso do CME semi-centralizado, cada unidade hospitalar faz o preparo inicial do material sujo que foi utilizado, e o encaminha para a esterilização em um único local do hospital.

3. Centralizado

Aqui, todos os materiais do hospital são preparados, esterilizados e distribuídos em um único CME que atende a todos os setores. Esse é o tipo mais utilizado atualmente, pois a centralização permite padronização das técnicas de esterilização utilizadas, maior eficiência e segurança dos processos, melhor controle dos materiais e economia para o hospital.

Organização do CME

A estrutura do CME deve ser organizada de forma que o processamento dos produtos siga um fluxo contínuo, direcionado da área suja para a área limpa.

Todo CME deve possuir, minimamente, os seguintes setores:

Expurgo

Esse setor inclui recebimento, conferência, lavagem e secagem dos artigos recebidos dos setores do hospital. A limpeza deve retirar todas as sujidades dos materiais. Podem ser utilizados equipamentos automatizados de limpeza, como a lavadora ultrassônica.

Preparo e esterilização

A preparação do material antes da esterilização envolve remoção da umidade e acondicionamento dos artigos (bandejas, embalagens, caixas).

A principal forma de esterilização feita nos hospitais é por meio do calor úmido, com o uso dos equipamentos de autoclave.

Monitoramento do processo de esterilização

Todo material que passa por um processo de esterilização passa por um monitoramento, para garantia da sua esterilidade. São utilizados indicadores específicos para a verificação da qualidade.

Armazenamento e distribuição

Os produtos esterilizados são armazenados em locais limpos e secos até seu momento de distribuição para o hospital, sempre com atenção para a data de validade da esterilização.

É necessário realizar acompanhamento e manutenção regular de todos os equipamentos utilizados na limpeza automatizada e na esterilização, para garantir a qualidade dos artigos processados pelo CME. Essa qualificação é feita pelo setor de engenharia clínica de cada hospital.

Você gostou de saber mais sobre os tipos de CME? Não deixe de assinar a nossa Newsletter. Desse jeito, você receberá informações como essa direto na sua caixa!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *