Trabalho conjunto: o engenheiro clínico e o técnico em equipamentos

Reading time: 3 minutes

Profissões promissoras no mercado de trabalho, o engenheiro clínico e o técnico em equipamentos são cada vez mais requisitados por hospitais. Isso porque o trabalho conjunto desses profissionais só traz benefícios para o ambiente hospitalar.

Está interessado em saber as competências de cada um desses profissionais? Quer compreender um pouco mais sobre essa atuação conjunta e essencial para o funcionamento do ambiente hospitalar? Veja a seguir.

O que faz um engenheiro clínico?

O engenheiro clínico administra o que se chama “ciclo de vida” dos equipamentos hospitalares, ou seja, é o maior responsável pela durabilidade e bom funcionamento dos aparelhos disponíveis no hospital ou na clínica. Assim, aparelhos de exame de imagem, de monitorização cardíaca, equipamentos do bloco cirúrgico, entre outras tecnologias, passam pela supervisão do profissional.

A atuação do engenheiro clínico inicia desde a aquisição desses equipamentos, pois ele também deve opinar quanto aos aparelhos mais adequados à rotina hospitalar. Além disso, ele recebe os equipamentos e gerencia a sua manutenção — tanto quanto à prevenção de estragos quanto aos consertos. O engenheiro clínico também é encarregado de auxiliar os técnicos em equipamentos biomédicos nos serviços de manutenção. Por fim, esse tipo de profissional programa o descarte de todos os resíduos que esses equipamentos geram, desde lâmpadas e peças usadas até aparelhos não mais utilizados.

Em uma visão mais ampla, o trabalho do engenheiro clínico é essencial para o bom funcionamento da clínica ou hospital. Afinal, é ele quem está por trás do gerenciamento de toda a tecnologia da saúde do ambiente hospitalar, incluindo otimização do trabalho de todos os funcionários, assistência à demanda dos pacientes e controle de riscos.

Qual o papel do técnico em equipamentos?

O técnico em equipamentos biomédicos atua ao lado do engenheiro clínico. Basicamente, o técnico desempenha na prática o planejamento feito pelo engenheiro, sempre com a supervisão deste último. Assim, o técnico em equipamentos biomédicos é habilitado para a manutenção desses equipamentos, bem como a instalação dos aparelhos.

Para isso, também devem ter conhecimento sobre as normas e procedimentos técnicos, de acordo com a legislação de saúde e segurança especificadas por cada fabricante.

Como essas funções se complementam?

Assegurar a infraestrutura adequada ao hospital ou à clínica, a fim de que o paciente desfrute do melhor cuidado que o serviço possa oferecer: esse é o objetivo tanto do engenheiro clínico quanto do técnico em equipamentos. Para isso, esses profissionais têm que trabalhar em conjunto.

Assim, não só instrumentos médicos como também o restante da infraestrutura hospitalar, como tubulações, equipamentos, tanques e cilindros de gases, são itens sob os cuidados de técnico e engenheiro. E tudo isso deve ser mantido de acordo com as normas vigentes para a segurança de pacientes e profissionais da saúde.

Na prática, o engenheiro clínico planeja o processo de gestão dos equipamentos biomédicos enquanto o técnico faz a manutenção e conserto desses aparelhos. Assim, a atuação de ambos profissionais se complementa para assegurar uma boa infraestrutura hospitalar para o funcionamento harmonioso do ambiente.

Portanto, o engenheiro clínico e o técnico em equipamentos biomédicos são profissões que otimizam a gestão hospitalar. E ambos comprovam ser essenciais para o funcionamento de um hospital.

Não deixe de assinar a Newsletter da Arkmeds e ficar por dentro dos novos artigos que são lançados. 

Tem alguma dúvida sobre meu artigo? Deixe um comentário e iremos te ajudar!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *