Conheça o ciclo de vida do equipamento hospitalar

Reading time: 4 minutes

Avaliação
[Total: 0 Média: 0]

A tecnologia é empregada em tudo o que o ser humano utiliza em sua vida. A cada dia, inovações acontecem visando à otimização de processos nos mais variados setores. Na área de saúde, a tecnologia também é empregada de diversas maneiras

Neste artigo, vamos falar um pouco sobre esse assunto e você vai conhecer todo o ciclo de vida do equipamento hospitalar. Acompanhe!

A tecnologia empregada na saúde

Tecnologia é um termo muito abrangente que engloba diversas áreas de conhecimento. Ela pode estar presente nos mais simplórios objetos — como numa colher — e também em grandes construções e invenções humanas — como satélites, arranha-céus, computadores de última geração e robôs.

Na área da saúde, a tecnologia é empregada buscando solucionar problemas no atendimento ao paciente, no diagnóstico, na condução dos tratamentos e procedimentos clínicos e para uma melhor qualidade de vida de todos os envolvidos.

Ela está presente nas vacinas, em medicamentos, nos dispositivos utilizados em atendimentos, nos sistemas de organização e suporte, no equipamento hospitalar, entre outros. Os investimentos em tecnologia para saúde e sua gestão têm o intuito de proporcionar avanços no setor, melhorando toda a estrutura da saúde, desde o aspecto preventivo até a reabilitação do paciente, incluindo a melhor condição de trabalho para os profissionais.

A tecnologia do equipamento hospitalar e sua gestão

Com o passar do tempo e por conta dos contínuos avanços, as tecnologias se perdem, tornando-se obsoletas. Por isso, é essencial fazer a substituição de cada elemento empregado no setor de saúde, utilizando substâncias mais eficazes, nova formas de prevenção e tratamento e ainda implementando novos equipamentos para acompanhar as inovações.

É papel do engenheiro clínico observar as inovações tecnológicas que surgem a fim de sugerir mudanças nos procedimentos e no equipamento hospitalar, visando ao melhor atendimento, mais agilidade, precisão e também segurança na instituição de saúde.

Para determinar as mudanças que devem acontecer, o engenheiro clínico precisa observar o ciclo de vida da tecnologia e aplicar esse conhecimento ao equipamento hospitalar. Dessa forma, ele poderá fazer a implementação de novas tecnologias mais eficazes e viáveis.

Esse ciclo de vida da tecnologia do equipamento hospitalar é constituído por 5 fases, sendo essas a inovação, a difusão inicial, a incorporação, a utilização em larga escala e o abandono. Conheça cada uma:

Inovação

Nessa fase, surgem novas tecnologias e são calculados seus custos, benefícios e possíveis riscos que venham a oferecer. Como se trata de uma fase inicial, a avaliação de impactos é limitada, pois depende de voluntários para esse estudo. Aqui, a tecnologia está entrando no mercado e é impactada por fatores como: pesquisa, legislação, economia, entre outros.

Difusão inicial

Nessa etapa, a nova tecnologia, ou o novo equipamento hospitalar, entra em fase de aceitação. As inovações trazem consigo a esperança de avanços e benfeitorias, mas, na difusão inicial a legislação e as regulamentações podem limitar o alcance dessas tecnologias para que sejam incorporadas aos poucos.

Incorporação

Na fase de incorporação, a tecnologia começa a ser reconhecida pelo setor de saúde. Quando utilizada em larga escala, ela gera um impacto maior sobre a confiança nessa inovação e em seus benefícios.

Utilização em larga escala

As novas tecnologias passam a ser utilizadas em larga escala quando não são observados efeitos adversos e impactos negativos para o setor. Já que o investimento para a substituição das tecnologias antigas demanda, em alguns casos, extensão de recursos.

Abandono

O abandono do equipamento hospitalar e sua tecnologia se dá em razão de diversos motivos: sua vida útil pode ter chegado ao fim, o equipamento pode ter sofrido danos, deterioração em razão do tempo, desgaste, o fim de sua utilidade e também a obsolescência devido às inovações tecnológicas. O abandono é decidido com a influência do engenheiro clínico, quando ele observa que o equipamento hospitalar já não atende mais às necessidades do dia a dia.

Conhecer as inovações tecnológicas e estar informado sobre o setor de equipamento hospitalar é o que garante a melhor atuação do engenheiro clínico, pois assim ele pode traçar estratégias mais eficientes na gestão das instituições de saúde e dos equipamentos.

Quer aprender mais sobre gestão hospitalar? Não deixe de assinar a Newsletter da Arkmeds e ficar por dentro dos novos artigos que são lançados. 

Tem alguma dúvida sobre meu artigo? Deixe um comentário e iremos te ajudar!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *