Gestão hospitalar: quais indicadores chave para medir a produtividade de um hospital?

Reading time: 3 minutes

Avaliação
[Total: 0 Média: 0]

O hospital é um estabelecimento que proporciona assistência à saúde de forma integral, curativa e preventiva. A gestão hospitalar atua no gerenciamento, desenvolvimento, controle e avaliação dos processos em saúde e constitui uma atividade complexa porque abrange recursos humanos, de materiais e de equipamentos.

Para cuidar bem de todas essas áreas, uma boa gestão hospitalar utiliza indicadores de desempenho como instrumentos para garantir a sustentabilidade e aumentar a produtividade dos serviços prestados. Confira os principais indicadores para medir a produtividade de um hospital!

Assistência ao paciente

Os indicadores estruturais de assistência ao paciente têm a função de mensurar se a quantidade e a qualificação dos funcionários são suficientes para atender às necessidades de saúde individuais e da comunidade do hospital.

Eles são importantes pois avaliam os serviços básicos, especializados e de alta complexidade prestados no hospital e os recursos necessários para cada uma dessas atividades. Alguns exemplos desses indicadores são o número de médicos especialistas na área e o acesso a tecnologias em saúde (aparelhos de ressonância, tomografia).

Cuidados com o paciente

Esses indicadores são distintos dos estruturais pois refletem as atividades e os serviços de cuidados contínuos ao paciente, mostrando a integralidade da atenção à saúde. São relevantes pois mostram a evolução do cuidado dentro do ambiente hospitalar e podem apontar algumas falhas no processo.

Manter-se atento a eles pode melhorar bastante a qualidade da assistência hospitalar prestada. Exemplos desses indicadores são a proporção de doentes avaliados dentro de 24 horas no pronto atendimento e a proporção de doentes sob cuidados de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva.

Resultados na assistência hospitalar

Estes são indicadores utilizados para medir as situações que se seguem ao cuidado do paciente. Eles são importantes porque medem a evolução das intervenções clínicas e podem predizer a eficiência das estratégias adotadas.

São exemplos de indicadores de resultados: taxa de mortalidade, taxa de infecção hospitalar, qualidade de vida e nível de satisfação do usuário.

Indicadores de desempenho utilizados pela engenharia clínica

Os indicadores de desempenho mostram a efetividade dos serviços de manutenção dos equipamentos médico-hospitalares realizados por meio da engenharia clínica. Esta é responsável por garantir a segurança do paciente através do gerenciamento da tecnologia médico-hospitalar.

Os indicadores para medir a eficiência dos equipamentos podem ser divididos em três grupos: temporais, de qualidade e de custo. Os primeiros dizem respeito ao tempo de resposta à solicitação para manutenção ou ao tempo de paralisação do equipamento. O segundo aponta para os fatores que influenciam a manutenção preventiva ou corretiva realizada, assim como o número de ordens de serviços solicitadas, em aberto ou já atendidas. O terceiro, por sua vez, se refere ao custo de manutenção dos equipamentos.

Além disso, existem  dois indicadores vitais que se relacionam diretamente à efetividade dos equipamentos e à lesão do paciente ou do operador. O primeiro indicador de lesão é devido ao mau funcionamento do equipamento e nesses casos o parâmetro a ser avaliado e modificado é a eficiência das manutenções. O segundo indicador de lesão se deve à má utilização da tecnologia — nesse caso o treinamento da equipe é a estratégia mais eficaz para promover a conscientização dos colaboradores sobre o funcionamento dos equipamentos.

Com o auxílio desses indicadores você conseguirá medir a produtividade de seu hospital, otimizar vários processos e corrigir eventuais erros. Ficou com alguma outra dúvida ou tem sugestões para dar em relação ao assunto? Deixe seu comentário aqui!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *